Saiba mais sobre Co-ativação

Escrito pelo Prof. Esp. e MBA Danilo Luiz Fambrini

      O treinamento de força pode contribuir também com outros fatores neurais, entre eles, a co-ativação dos músculos agonistas e antagonistas. Essa co-ativação pode resultar em melhora da eficiência de ambos os grupos que contraem e relaxam de forma organizada durante o movimento (WILLMORE; COSTILL, 1999).

         Em um exercício, quando o músculo agonista recebe o impulso para contração, seu antagonista relaxa por meio da inibição. Para que um músculo agonista possa produzir força máxima, todas as unidades motoras do músculo devem ser recrutadas para minimizar a intensidade da co-ativação, assim ocorrendo sua contração máxima.

        Desta forma, a co-ativação diminui a força produzida no sentido desejado. Sugere-se que o treinamento de força ocasione um aumento na inibição dos antagonistas (HAKKINEN, 1994; ENOKA, 1997). A redução da co-ativação explica parte dos ganhos de força atribuídos aos fatores neurais.

Referência da imagem: BP Blogspot

Tudo o que você precisa saber sobre Adaptação Neural [Especial CDT]

Ler a matéria

Conheça os Sistemas periódicos do Treinamento com Pesos Parte I

Ler a matéria