Treinamento com pesos melhora a função cognitiva.

Escrito pelo Prof. Esp e MBA Danilo Luiz Fambrini

O processo do envelhecimento traz alterações físicas e mentais no Mundo todo. Os profissionais do exercício estão em uma posição única para auxiliar a população a minimizar os efeitos deletérios ocasionados pelo passar dos anos.

A prática de exercícios físicos com acompanhamento tende a trazer diversos benefícios, como alimentação saudável, melhorias da capacidade física, redução do estresse, ficar inserido em uma comunidade, melhorias nas horas de sono, redução do consumo de tabaco e álcool (ALTUG, 2014).

O treinamento resistido (ou seja, treinamento com pesos) é um componente fundamental para a vida saudável e para as funções diárias devido ao ganho de força conquistado com essa prática. Tal capacidade tem tamanha importância levando em consideração a Sarcopenia (perda da massa muscular com o avançar da idade) e que a perda da força durante toda a vida pode ser superior a 40% tendo acentuação ao chegar aos 65 anos (PESCATELLO et al., 2014).

O desuso da musculatura pode ser ocasionado em pessoas saudáveis por questões do cotidiano como trabalho, problemas pessoais ou indisposição e em pessoas acometidas por fraturas ou lesões. Tal desuso ocasiona perda muscular e de força com o passar dos dias (MITCHELL et al., 2012). A pessoa acamada sofre perda rápida de massa muscular e declínio em suas capacidades funcionais (ENGLISH e PADDON-JONES, 2010).

Cerebro-219x300Outro fator resultante do treinamento com pesos que vem sendo estudado por pesquisadores são as melhorias cognitivas, essenciais para as atividades diárias como dirigir, utilizar aparelhos tecnológicos e o convívio com a sociedade (JOBE et al., 2001).

Vanes (2013) define cognição como habilidade de pensamento, linguagem, calculo, percepção, memória, raciocínio, aprendizado, imaginação e intelecto.

EFEITOS DO TREINAMENTO COM PESOS A LONGO PRAZO (ACIMA DE 24 SEMANAS)

Cassilhas et al.(2007) analisou o treinamento com pesos a longo prazo (24 semanas) utilizando um protocolo de alta intensidade, média intensidade e um grupo com apenas atividades de alongamento. Os achados dos autores foram positivos na utilização do treinamento com pesos em ambas as intensidades com relação a ganho de força muscular, humor, qualidade de vida e nos valores de IGF-1. Autores relatam que o aumento dos valores de IGF-1 auxiliam na melhoria no desempenho cognitivo (TREJO, CARRO e TORRES-ALEMAN, 2001; AL-DELAIMY et al., 2009).

Liu-Ambrose et al. (2010) comparou evoluções cognitivas comparando frequência semanal de uma ou duas sessões e notou que a participação em programas de treinamento com pesos por mais de uma vez por semana alcança melhores resultados.

EFEITOS DO TREINAMENTO COM PESOS A MÉDIO PRAZO (MAIS QUE 3 SESSÕES E MENOS DE 24 SEMANAS)

Com relação a esse período de treinamento, Fragala et al.(2014) utilizou um protocolo de 6 semanas com duas sessões semanais e relatou melhorias na percepção espacial e reação visual e física dos voluntários. Ozkaya et al. (2005) comparou por 9 semanas um grupo de treinamento aeróbio e um de treinamento com pesos e concluíram que o treinamento com pesos pode ser mais eficiente para as primeiras informações para a melhoria da cognição.

EFEITOS DO TREINAMENTO COM PESOS A CURTO PRAZO (ATÉ 3 SESSÕES)

Estudos como os de Chang e Etnier. (2009), Chang et al. (2012) e Chang et al. (2012), utilizaram 3 sessões de treinamento em indivíduos idosos e notaram alterações fisiológicas que nos induz a pensar que o estimulo do

treinamento com pesos é capaz de desde as primeiras sessões estimular melhorias cognitivas que são acentuadas com o passar das sessões.

MECANISMOS DE MELHORIA COGNITIVA

Apesar de não serem claras e totalmente comprovados os mecanismos que ocasionam a melhoria cognitiva, alguns estudos levantam hipóteses interessantes:

– Aumento do fluxo sanguineo no cerebro resultando no transporte de nutrientes para o sistema nervoso (CASSILHAS et al., 2007).

– Aumento do IGF-1 no soro, ao qual é relacionado com a modulação de moléculas derivadas do cérebro (CASSILHAS et al., 2007).

– Pode impulsionar a atividade de enzimas antioxidantes e assim, melhorar a recuperação ao dano oxidativo (CASSILHAS et al., 2007).

– Excitação fisiológica ocasionada pelo exercício físico (como aumento da frequência cardíaca) pode auxiliar na melhoria cognitiva (CHANG e ETNIER, 2009).

– Treinamento com pesos pode causar alterações neurobiológicas no funcionamento neurotransmissor, no fluxo sanguíneo cerebral e o aumento da complexidade celular em várias regiões do cérebro.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O treinamento com pesos se mostra eficiente na função cognitiva em todas as faixas etárias, especialmente em idosos. Mais de uma sessão semanal parece alcançar melhores resultados. Em caso de treinamento para idosos, recomenda-se a execução com sobrecargas em torno de 50% de 1RM e após adaptação pode-se aumentar de acordo com o estado do praticante.

Mais 5 trabalhos científicos sobre Coronavirus e Exercício Físico para ler e/ou baixar, veja

Ler a matéria

Como o SEU SANGUE pode ajudar no COMBATE a COVID-19 [VÍDEO]

Ler a matéria

Sistema Imune e EXERCÍCIO FÍSICO – Isso pode te proteger do COVID-19? [VÍDEO]

Ler a matéria