O que é melatonina?

Escrito pelo Prof. Esp e MBA Danilo Luiz Fambrini

O corpo humano produz diversos hormônios que são capazes de regular as atividades rotineiras do dia-dia. A melatonina é uma delas, e na publicação atual falaremos mais sobre ela.

A melatonina (MEL) é o principal hormônio da glândula pineal. Foi isolada pela primeira vez em 1958 (LERNER et al., 1958).

Ela é produzida e secretada, principalmente, pelos pinealócitos da glândula pineal (LERNER et al., 1958, BRZEZINSKI, 1997), a substância tem como pico secretório o período noturno e quase nenhuma síntese no período diurno (VENECEK, 1998).

No entanto, a melatonina pode ser ingerida na forma de suplemento, como Melatonina Optimum, ou remédios, como Melatonina DHEA, que ajudam a facilitar o sono (FRAZÃO, 2015).

Através da regulação do ritmo circadiano, a secreção de MEL está intimamente sincronizada com o período de sono. A ingestão (LIEBERMAN et al., 1984) ou inalação (VOLLRATH et al., 1981) de MEL aumenta a propensão ao sono, e a qualidade do sono (TZISCHINSKY & LAVIE, 1994).

Alguns achados de puberdade precoce associada a baixos níveis de MEL (WALDHAUSER et al,. 1991) e de hipogonadismo associado a níveis altos da mesma (PUIG-DOMINGO, 1992) dão suporte à hipótese de que a MEL tem um papel na regulação da puberdade.

O exercício pode acelerar o deslocamento de fase de alguns marcadores biológicos, como a liberação do hormônio melatonina, demonstrando assim uma relação direta com marcadores relacionados ao ciclo sono-vigília (MIYAZAKI et al., 2001).

A prática do exercício físico e as diferenças em suas intensidades, volumes e o nível de atividade física do praticante podem determinar algumas dessas alterações, podendo alterar os marcadores de TSH e melatonina, alterando assim, seu sono.

Estudos analisaram os efeitos do exercício noturno sobre o sono e Van Reet et al. (1994) utilizou três horas de exercícios contínuos, durante a noite, e relataram que houve um atraso entre uma ou duas horas na secreção de melatonina e tirotropina. No entanto, o estudo realizado por Buxton et al.(1997) mostrou que exercícios contínuos de uma hora eram suficientes para produzir os efeitos sincronizadores em humanos.

Fique atento, veja nossa publicação sobre a importância do sono para a prática esportiva e como melhorar suas horas de descanso.

Nutrição Esportiva: 9 matérias sobre suplementação [Especial CDT]

Ler a matéria

Qual a influência do exercício físico sobre a qualidade do sono?

Ler a matéria