O que é Glutamina?

glutamina-benefc3adcios

A Glutamina é muito mencionada no meio esportivo, em especial nas salas de treinamento com pesos, onde existem muitas dúvidas acerca do que se trata e quais os efeitos no corpo humano, mas afinal, o que é Glutamina?

A glutamina (C5H10N2O3) é um L-α-aminoacido, com peso molecular de aproximadamente 146,15kda e pode ser sintetizada por todos os tecidos do organismo. Como o organismo pode sintetizar glutamina, esta e considerada como um aminoácido dispensável ou não essencial (MOREIRA et al. 2007).

A classificação da glutamina como um aminoácido não essencial, entretanto, tem sido questionada, pois em situações criticas, tais como cirurgias, traumas e exercícios físicos exaustivos, a síntese de glutamina não supre a demanda exigida pelo organismo (WRAI, 2002; ,SANTOS, CAPERUTO & COSTA ROSA, 2007). A glutamina e o aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular, sendo também encontrada em concentrações relativamente elevadas em outros diversos tecidos corporais (ROWBOTTON et al., 1996).Segundo Rodrigues et al., 2002 e Vasconcellos & Tirapegui, 1998), a glutamina é o aminoácido livre mais abundante no organismo. Sua concentração plasmática é de 0,5 a 0,9 mmol/ L8, e aproximadamente 80% da glutamina corporal encontra-se no músculo esquelético, sendo esta concentração 30 vezes superior a do plasma.

Duas enzimas são responsáveis pela síntese de glutamina a partir do glutamato ou por sua degradação, também em glutamato, a saber, a glutamina sintetase e a glutaminase, respectivamente (NEWSHOLME et al., 2003; ROWBOTTON et al., 1996).

Em condições em que o consumo da glutamina excede a sua síntese, vários órgãos são afetados, principalmente os que estão envolvidos na síntese e liberação deste aminoácido, tais como o músculo esquelético, pulmões, fígado e cérebro17,35. Diante da sua importância metabólica, é fundamental que haja constante fornecimento de glutamina a estes tecidos (KRZYWKOWSKI K. et al 1999).

Rogero & Tirapegui (2003), destacam as diversas funções atribuídas a glutamina no organismo humano reforça o papel relevante deste aminoácido, tanto em estados normais quanto em estados fisiopatológicos. Dentre as principais funções deste aminoácido estão:

  • Precursora de nitrogênio para a síntese de nucleotídeos;
  • Manutenção do balanço ácido-base durante acidose;
  • Transferência de nitrogênio entre órgãos;
  • Detoxificação de amônia;
  • Crescimento e diferenciação celular;
  • Possível regulador direto da síntese e degradação protéica;
  • Fornece energia para células de rápida proliferação, como enterócitos e células do sistema imune;
  • Veículo de transporte de cadeia carbônica entre os órgãos;
  • Age como precursora da ureogênese e gliconeogênese hepática, e de mediadores, como o ácido gama-aminobutírico (GABA) e glutamato;
  • Fornece energia aos fibroblastos, aumentando a síntese de colágeno;
  • Promove melhora na permeabilidade e integridade intestinal;
  • Aumenta a resistência à infecção por aumento da função fagocitária;
  • Substrato para síntese de glutationa;
  • Estimula a síntese de citrulina e arginina.

Muito utilizada como forma de suplementação, a glutamina merece atenção. Em publicações futuras trataremos sobre os efeitos detalhados e suplementação desta.

Efeitos da Creatina e o Treinamento com Pesos sobre a saúde óssea de mulheres na pós-menopausa

Ler a matéria

Nutrição Esportiva: 9 matérias sobre suplementação [Especial CDT]

Ler a matéria