Musculatura do Abdome: Anatomia e detalhes.

O abdome é uma região essencial para estabilidade, mobilidade e capaz de prevenir diversas lesões. Após tratarmos da musculatura dorsal, do tórax, ombro e do braço, hoje reservamos o espaço para a musculatura abdominal, confira.

A musculatura abdominal é dividida em 4 partes e 11 músculos, que descreveremos abaixo, bem como, sua função, origem e inserção.

Região Ântero-Lateral

RETO ANTERIOR DO ABDOME

Inserção Superior: Face externa e inferior da 5ª à 7ª cartilagens costais e processo xifoide

Inserção Inferior: Corpo do púbis e sínfise púbica

Inervação: 5 últimos nervos intercostais

Ação: Aumento da pressão intra-abdominal (Expiração, Vômito, Defecação, Micção e no Parto)

* Fixo no Tórax: Retroversão da pelve

* Fixo na Pelve: Flexão do tronco (+ ou – 30°)

PIRAMIDAL DO ABDOME

Inserção Superior: Linha Alba

Inserção Inferior: Corpo do púbis e ligamento púbico anterior

Inervação: 12º nervo intercostal

Ação: Tencionar a linha alba

OBLÍQUO EXTERNO DO ABDOME

Inserção Superior: Face externa das 7 últimas costelas

Inserção Inferior: ½ anterior da crista ilíaca, EIAS, tubérculo do púbis e linha alba

Inervação: 4 últimos nervos intercostais, nervo ílio-hipogástrico e ílio-inguinal

Ação:

* Contração Unilateral: Rotação com tórax girando para o lado oposto

* Contração Bilateral: Flexão do tronco e aumento da pressão intra-abdominal

OBLÍQUO INTERNO DO ABDOME

Inserção Superior: 3 últimas cartilagens costais, crista do púbis e linha alba

Inserção Inferior: Crista ilíaca, EIAS e ligamento inguinal

Inervação: 4 últimos nervos intercostais, nervo ílio-hipogástrico e ílio-inguinal

Ação: Idem ao Oblíquo Externo, porém realiza rotação do tórax para o mesmo lado

TRANSVERSO DO ABDOME

Inserção Posterior: Face interna das últimas 6 cartilagens costais, fáscia toracolombar, crista ilíaca e ligamento inguinal

Inserção Anterior: Linha alba e crista do púbis

Inervação: 5 últimos intercostais, nervo ílio-hipogástrico e ílio-inguinal

Ação: Aumento da pressão intra-abdominal e estabilização da coluna lombar

Região Posterior

QUADRADO LOMBAR

Inserção Superior: 12ª costela e processo transverso de1ª a 4ª vértebras lombares

Inserção Inferior: Crista ilíaca e ligamento ileolombar

Inervação: 12º nervo intercostal e L1

Ação: Inclinação homolateral do tronco e depressão da 12ª costela

ILIOPSOAS

Ilíaco

Inserção Superior: 2/3 superiores da fossa ilíaca, crista ilíaca e asa do sacro

Inserção Inferior: Trocânter menor

Inervação: Nervo Femural (L2 – L3)

Ação: Flexão de quadril, anteroversão da pelve e flexão da coluna lombar (30° – 90°)

Psoas Maior

Inserção Superior: Processo transverso das vértebras lombares, corpos e discos intervertebrais das últimas torácicas e todas lombares

Inserção Inferior: Trocânter menor

Inervação: Nervo superior e inferior do músculo psoas maior (L1 – L3)

Ação: Flexão da coxa, flexão da coluna lombar (30° – 90°) e inclinação homolateral

PSOAS MENOR (Geralmente está ausente)

Inserção Superior: Corpo vertebral de T12 e L1

Inserção Inferior: Eminência iliopectínea

Inervação: L1

Ação: Flexão da pelve e coluna lombar

Região Superior

DIAFRAGMA

Origem: Face interna das 6 últimas costelas, face interna do processo xifoide e corpos vertebrais das vértebras lombares superiores

Inserção: No tendão central (aponeurose)

Inervação: Nervo Frênico (C3 – C5) e 6 últimos nervos intercostais (propriocepção)

Ação: Inspiratório, pois diminui a pressão interna da caixa torácica permitindo a entrada do ar nos              pulmões, estabilização da coluna vertebral e expulsões (defecação, vômito, micção e parto)

Região Inferior

LEVANTADOR DO ÂNUS

O levantador do ânus em geral mostra uma separação em duas partes:
Pubococcígeo
– Iliococcígeo

Origem: Entre o ramo superior do púbis e espinha isquiática

Inserção: Cóccix, esfíncter do ânus e no ponto tendíneo central do períneo
Inervação: Plexo Pudendo (S3 – S5)

Ação: Suporta e eleva ligeiramente o soalho pélvico, resistindo à pressão intra-abdominal aumentada, como durante a expiração forçada

ISQUIOCOCCÍGEO

Origem: Ápice da espinha do ísquio e do ligamento sacroespinhal

Inserção: Margem do cóccix e na face lateral do sacro

Inervação: Plexo Pudendo (S4 – S5)

Ação: Traciona o cóccix ventralmente, suportando o soalho pélvico contra a pressão intra-abdominal

Ação muscular no exercício Inferior na paralela [Vídeo]

Ler a matéria