O que é Fascite Plantar?

Créditos: Prof. Esp. Eurico Lara de Campos Neto

A fáscia plantar é um tecido fibroso que tem sua origem a partir do tubérculo na superfície do calcâneo. Tem a função de manter o arco medial dos pés e auxiliar na absorção de impactos. (Chiew et al. 2016) (Ferreira 2014)

A fascite plantar é uma síndrome de dor intensa que ocorre com freqüência, ela atinge desde atletas até indivíduos em especial aos que são sedentários e de meia idade de ambos os sexos, seu pico de incidência ocorre entre 40 e 60 anos de idade. Ela é a causa mais comum de dor que ocorre na região plantar do calcanhar. (Chiew et al. 2016) (Ferreira 2014)

Fatores de risco

Para (Roxas 2005) os principais fatores que se destacam são a obesidade e redução da dorsiflexão do tornozelo. Individuos com arcos plantares baixos ou pés planos apresentam um risco maior de desenvolver fascite plantar. (Ferreira 2014) destaca a influencia da obesidade no desenvolvimento de fascite plantar.

Sintomas

O principal sintoma caracteriza-se pela dor na planta do pé, sendo mais intensa logo no inicio da manhã, ocorrendo uma diminuição no decorrer do dia, porem com riscos de retornar de forma mais intensa ou prolongada (Roxas 2005).

Segundo (Ferreira 2005) edema leve e eritema estão quase sempre presentes. Seus sintomas pode persistir durante poucas semanas ou até mesmo durante alguns anos.

Ela pode se originar na porção central da fáscia ou pode ser mais profunda e representar uma inflamação do nervo abdutor do quinto dedo.

Tratamento

O tratamento é feito com base em antiinflamatórios, fisioterapia, exercícios de alongamento. Repouso e diminuição em atividades intensas proporcionam um alivio significativo (Roxas 2005).

O autor ainda destaca que o uso de um calçado adequado é benéfico para a diminuição das dores. E que outras alternativas como a acupuntura juntamente com estimulação elétrica ajudam a minimizar a dor.

Segundo (Ferreira, 2014) o tratamento de modo mais conservador inclui um programa domiciliar que envolve exercícios principalmente de alongamentos para a fáscia plantar. Caso esse tratamento não resulte nenhum efeito, outra modalidade de tratamento pode ser adotada, como o uso de uma órtese noturna. Essa modalidade de tratamento consiste em manter a fáscia alongada durante todo o período noturno.

O uso de infiltrações com esteróides surge como uma alternativa para uma alivio imediato, porem seu uso de forma indiscriminada pode trazer complicações, sendo a principal delas a ruptura da fáscia.

O tratamento por ondas de choque mostrou-se eficaz, consiste na aplicação de altas ondas de choque com o objetivo de promover a cicatrização do tecido inflamado.

A entrada do tratamento cirúrgico é indicado caso o tratamento de modo conservador não consiga resultados satisfatórios por um período de seis meses, sendo importante a localização exata da dor para a realização da mesma. Os resultados satisfatórios pós cirúrgicos chegam a um índice de 95%.

Referencias:

Chiew, SK, Ramasamy, T.S, Amini, F. Effectiveness and relevant factors of platelet- rich treatment in managing plantar fasciitis: A systematic review. Journal of Researchin Medical Sciences. Vol 14. Junho 2016

Ferreira, R.C. Talalgias: Fascite plantar. Revista Brasileira de Ortopedia, vol 49, nº3. São Paulo, maio/junho 2014

Roxas, M. Plantar fasciitis: Diagnosis and Therapeutic Considerations. Alternative Medicine Review. Vol 10, nº2, 2005

6 trabalhos científicos sobre Esporte Adaptado para ler e/ou baixar, veja

Ler a matéria

Posição de Lotus e dores nos joelhos, entenda o motivo [Vídeo]

Ler a matéria

5 trabalhos científicos sobre Câncer e exercício físico para ler ou baixar, veja

Ler a matéria