O que é Tendinite Patelar?

Se você é praticante de exercícios físicos ou tem contato próximo com o meio esportivo, sem dúvida, já ouviu falar o termo Tendinite Patelar. Na publicação atual serão mencionados conceitos, sintomas e causas, confira:

 

A Tendinite Patelar é uma das patologias que acometem o joelho a mesma também pode ser mencionada como “joelho do saltador”, em geral ocorrem em atletas com atividades que requerem a extensão súbita do joelho, como corridas, saltos e chutes, levando a microtraumas no tendão patelar, normalmente na região inferior da patela (ANDRADE, 2003).

Ferreti et al. (1983) define a Tendinite ou Tendinopatia patelar em uma afecção relacionada com a sobrecarga do aparelho extensor do joelho. Essa lesão acomete o tendão patelar, causando dor à palpação e déficit funcional. Segundo os autores, o segmento mais acometido é a porção profunda e posterior do tendão patelar, adjacente ao pólo inferior da patela. Ele, assim como Andrade (2003), ressaltam que a lesão é conhecida também pelo nome de jumper’s knee ou “joelho do saltador”,por ser comum em atletas que praticam esporte de salto.

Essa tendinopatia não é encontrada apenas em atletas praticantes de esportes de salto, mas também em qualquer tipo de esporte que exponha o aparelho extensor do joelho a esforços intensos e repetitivos (LIAM et al., 2005). Outras denominações, como tendinite patelar, tendinose patelar, apicite patelar e entesite patelar, são encontradas na literatura. Em geral o mais utilizado é o termo tendinopatia patelar, pois este engloba todas as afecções do ligamento patelar.

 

 

Segundo Jardim (2005), os sinais e sintomas da tendinite patelar são notados pela pessoa por uma dor na face anterior do joelho, associada a uma fragilidade na região inferior da patela e por vezes a um edema local. Nos casos mais graves, pode-se sentir dor durante as atividades da vida diária e durante a noite. A tendinopatia é diagnosticada de forma clínica, caracterizado por dor à palpação na borda inferior da patela e adjacência e, nos casos mais avançados, nódulo palpável e edema associado podem ser visíveis. Alguns exames são interessantes para poder auxiliar no diagnóstico, como  radiografia, ultrassonografia (US) e ressonância magnética (RM). O US e a RM são os mais indicados, pois, podem definir o local exato da lesão, sua extensão, como também identificar a presença ou não de alterações degenerativas, sendo a RM o que fornece melhor resolução (COHEN, 2008).

Em breve, maiores detalhes sobre tratamento, causas das lesões e outras informações.

 

Fiquem atentos, curtam nossa fanpage no Facebook para não perder nenhuma matéria nova. Clique aqui

 

REFERÊNCIAS

 

  • ANDRADE M. A. P. E, NOGUEIRA S. R. S., HELUY G. D. Tendinite patelar: resultado do tratamento cirúrgico. Disponível em: <http://www.rbo.org.br/pdf/2003_abr_04.pdf> Acessado em: 24 Nov. 2012.
  • COHEN, M.; FERRETTI M.; MARCONDES F. B. AMARO J. T.; EJNISMAN B. Tendinopatia patelar. RevBras Ortop. 2008; Disponível em:< http://www.rbo.org.br/pdf/ago_2008_01.pdf> Acessado em 23 Nov. 2012.
  • JARDIM, M. Tendinopatia Patelar. Arq. Essfisioonline, vol1, N°4, setembro/2005. Disponível em: http://www.inicepg.uni.vap.br/trabalhos/saude/inic/INICG00149_02O.PDF Acessado em: 15 Nov. 2012.
  • Ferretti A, Ippolito E, Mariani P, Puddu G. Jumper’s knee. Am J Sports Med. 1983;11(2):58-62.
  • Lian OB, Engebretsen L, Bahr R. Prevalence of jumper’s knee among elite athletes from different sports: a cross-sectional study. Am J Sports Med. 2005;33(4):561-7.

Corrida de rua: 9 trabalhos científicos para você ler e baixar, confira.

Ler a matéria