Exercicio Físico para Gestantes: Beneficios e riscos!

Escrito pelo Prof. Esp e MBA Danilo Luiz Fambrini

         A pratica de um programa regular de exercícios físicos pode ser um ótimo aliado da mulher durante a gestação, mas exige cuidados.

        A grande maioria das gestantes durante esse período sentem desconfortos musculoesqueléticos, principalmente a lombalgia. Tais queixas ocorrem devido a rotação do quadril, e aumento da elasticidade ligamentar (BENNEL, 2001).

       Mulheres não ativas fisicamente, sofrem com o declínio do condicionamento físico, e a ausência de exercícios físicos deixam a mulher mais propicia a doenças nesse período (HAAS et al 2005).

         O exercício resistido (com pesos) leve ou moderado tem efeitos positivos para a mulher sem causar riscos para o feto. A pratica aumenta a resistência e a flexibilidade da gestante, assim, deixando-a preparada para as alterações corporais nesse período.

        Exercícios aeróbios também são indicados, pois, são capazes de controlar o aumento de peso, na manutenção do condicionamento e ainda reduz o risco do diabetes gestacional, já que utiliza glicose como substrato energético e estimula a produção de insulina. Não são somente físicos os benefícios, mas também mentais e emocional  (STERNFELD, 1995).

Riscos para o feto

       As gestantes comumente pensam nos possíveis riscos para seu feto, mas acalmem-se, exercícios físicos leves e moderados além de não terem influência negativa sobre o feto, ainda tendem a auxiliar a nascerem com maior peso. Já em níveis de exercícios com cargas elevadas, o risco existe e pode ocasionar menor peso para o feto, além de maior risco de lesões abdominais na gestante acarretando maiores problemas (BENNEL, 2001).

Contra indicações na gravidez

        Segundo Bennel (2001), a mulher que tem as seguintes complicações esta proibida de praticar exercícios físicos de qualquer origem:

Doença miocárdica descompensada

Insuficiência cardíaca congestiva

Tromboflebite

Embolia pulmonar recente

Doença infecciosa aguda

Risco de parto prematuro

Sangramento uterino Isoimunização grave.

Recomendações acerca de treinamento

         Todas as mulheres que não tiverem as limitações listadas acima precisam ser encorajadas a se manterem ativas fisicamente. Seguem algumas recomendações da Sports Medicine Australia:

  • Em grávidas já ativas, manter os exercícios aeróbios em intensidade moderada durante a gravidez;
  • Evitar treinos em freqüência cardíaca acima de 140 bpm. Exercitar-se três a quatro vezes por semana por 20 a 30 minutos. Em atletas é possível exercitar-se em intensidade mais alta com segurança;
  • Os exercícios resistidos também devem ser moderados. Evitar as contrações isométricas máximas;
  • Evitar exercícios na posição supina; • evitar exercícios em ambientes quentes e piscinas muito aquecidas;
  • Desde que se consuma uma quantidade adequada de calorias, exercício e amamentação são compatíveis;
  • Interromper imediatamente a prática esportiva se surgirem sintomas como dor abdominal, cólicas, sangramento vaginal, tontura, náusea ou vômito, palpitações e distúrbios visuais;
  • Não existe nenhum tipo específico de exercício que deva ser recomendado durante a gravidez. A grávida que já se exercita deve manter a prática da mesma atividade física que executava antes da gravidez, desde que os cuidados acima sejam respeitados.

 Referência da imagem: Site Treino para mulher

Mais 5 trabalhos científicos sobre Coronavirus e Exercício Físico para ler e/ou baixar, veja

Ler a matéria

Como o SEU SANGUE pode ajudar no COMBATE a COVID-19 [VÍDEO]

Ler a matéria

Sistema Imune e EXERCÍCIO FÍSICO – Isso pode te proteger do COVID-19? [VÍDEO]

Ler a matéria