Causas e tratamentos para lesão de joelho.

Escrito pelo Prof. Esp e MBA Danilo Luiz Fambrini

        Ultima matéria da série “Joelho”, hoje serão tratadas as causas e tratamentos, confira!

       Qualquer tipo de lesão, seja ela de qualquer origem, desestabiliza a articulação e pode prejudicar o desempenho motor. O grau de lesão e o fator da ocorrência é que determina a forma de tratamento que seria adequado.

      As intervenções pode ocasionar ou prevenir lesões, isso vai depender dos métodos utilizados e se é feito sob devida orientação ou não. Intervenções positivas são capazes de evitar lesões futuras desde o período escolar, fazendo uso de treinamentos pré competitivos.

      A estrutura biomecânica do ser humano pode ser um dos motivos responsáveis pela predisposição á lesões no joelho. Alterações anormais da patela, articulação com mobilidade excessiva, influência hormonal e alterações posturais no pé e assimetria de comprimento dos membros inferiores são alguns dos fatores (HALL, 2005).

     Quase sempre a lesão ocorre por uma manobra de torção, e desaceleração súbita geralmente seguida de estalos presentes dentro de poucas horas, ou ainda abdução com rotação externa e hiperextensão. O tipo de marcha, como pronação ou o antepé evertido, pode se tornar um fator que predispõe a varias lesões no joelho. Outros fatores que podem ocasionar fragilidade articular é a postura, genu recurvatum (joelho com flexão excessiva em postura ereta) e pé cavo (WALLACE; MANGINE; MALONE, 2001).

     Lesões frequentes na pratica esportiva ocorrem no ligamento cruzado anterior (LCA) e no menisco. Daremos mais detalhes sobre lesões nesses locais.

     A lesão de LCA normalmente se da pelo estresse em torno de sua estrutura ocasionado normalmente pelo entorse com o pé fixo ao chão (Macnicol, 2002) e tal lesão ocasiona perda de força, alongamento e perda da função parcial podendo ser transitória ou limitar permanentemente o paciente de suas tarefas esportivas.

      Lesão no menisco normalmente se dá por uma combinação entre flexão e rotação, causando uma distorção entre a porção anterior e posterior deste. As lesões a nível de menisco medial são 20 vezes mais frequentes em comparação ao menisco lateral devido a sua aderência a cápsula articular e ao ligamento colateral deixando-o mais vulnerável. (MACNICOL, 2002). Outro movimento com risco de lesão de menisco é a extensão completa do joelho com grande velocidade ou impacto com o solo, por exemplo, após um chute no futebol.

  Ligamento Cruzado Anterior e o Menisco tem grande ligação, quando existe o rompimento de LCA, consequentemente o menisco é lesionado, não necessariamente em nível semelhante. Após ser constatada essas lesões e após processo operatório (se necessário), o paciente deve ser instruído adequadamente de acordo com o caso para que saiba quais atividades são aconselháveis em relação a prevenção de lesão ou ao menos sem riscos.

    Forma muito utilizada no treinamento pós lesão de menisco e ligamento cruzado anterior é a propriocepção. Método que visa o fortalecimento da musculatura que possivelmente tenha interferência na articulação do joelho, sendo ela, fortalecimento de posterior (isquiotibiais) e anterior de coxa (quadríceps), músculos da panturrilha (Gastrocnêmio, Sóleo, Tibial Anterior). O fortalecimento dessas regiões visa conseguir melhorias na postura, na melhor distribuição de peso corporal e no equilíbrio.

A utilização de exercícios de fortalecimento e posturais apropriados desde a infância são um forte aliado para prevenção de lesões. Em casos de reabilitação, o fortalecimento se faz necessário também com fim de proteção, porém, como uma reeducação proprioceptiva.

Leia as outras matérias da série:

1. Detalhes da articulação do joelho

2. Deformidades no joelho

3. Ocorrência de lesões no joelho na prática do Futebol.

Referência da imagem: conexãocefai

Análise tática – Organização defensiva Manchester City [vídeo]

Ler a matéria

Como ser um bom zagueiro no futebol – Dica da técnica dos zagueiros modernos [VÍDEO]

Ler a matéria