A influência da música sobre o número máximo de repetições durante treinamento.

Escrito pelo Prof. Esp e MBA Danilo Luiz Fambrini

            É comum vermos nas academias dos quatro cantos do mundo praticantes com seus fones de ouvido. Alguns por utilizarem como uma forma de concentração, outros por optarem pela sua musica favorita ou diversos outros motivos. Dai nos perguntamos, qual a influência desse hábito no desempenho nos treinamentos?

 

            O treinamento resistido (treinamento com pesos) é uma prática que visa a melhoria de diversas variáveis como força, potência, aumento da massa magra, redução de gordura corporal, efeito analgésico, entre outras. Os benefícios do treinamento com pesos acontecem em todas as fases da vida, em proporções diferentes de acordo com a faixa etária (KRAEMER e RATAMES, 2004).

            Para obter bons resultados com o treinamento resistido é necessário sabemos que é importante se atentar a diversas variáveis durante as sessões, como: frequência de treinamento, intensidade, volume, amplitude de movimento, velocidade de execução, assim, podendo ter uma possibilidade enorme de combinações (RHEA et al., 2003; WOLFE, LEMURA e COLE, 2004). Não existe a formula perfeita para alcançar os melhores resultados, cada etapa da vida e estagio de treinamento tem suas particularidades.

            Vertente que pode contribuir nos treinamentos é o fator psicológico, onde alguns autores já mencionaram a influência da música no exercício físico, indicando que ao estar em contato com sons, a pessoa se sente mais animada, relaxada ou estimulada, assim, melhorando o desempenho (Broadbent, 1958;  Hernadez- Peon et al. 1961; Marteniuk, 1976).

            Mas será que tal influência da música é a mesma com qualquer estilo musical?  No treinamento com pesos  também existe essa influência?

            Rodrigues, Junior e Furtado (2014), pensando nessa questão, avaliaram adultos jovens do sexo masculino e os voluntários tinham que executar os exercícios supino reto e leg press 45° em três situações: ouvindo sua música favorita, ouvindo música que não gosta e sem música. Os autores encontraram diferenças significativas da música favorita em comparação aos duas outras opções no supino reto, porém, no leg press, não houveram resultados tão expressivos.

            Lane, Jackson e Terry (2005), mencionam em seu estudo algo que pode dar suporte ao achado do estudo acima citado. Os autores relatam que a execução de exercícios da preferência do praticante também estimula seu animo com relação a exercício que não gosta de executar.

            Como o estudo de Rodrigues, Junior e Furtado tiveram como voluntários homens, a preferência pelo exercício Supino Reto possivelmente seja o responsável pelos resultados terem maior efeito sobre este.

            Dessa forma, pode-se indicar que a utilização da música favorita durante as sessões de treinamento podem ter efeito positivo sobre o desempenho dos praticantes de treinamento com pesos, se tornando como menciona Rodrigues, Junior e Furtado (2014), um recurso ergogênico psicológico.

Você costuma levar seu fone de ouvido para os treinamentos? Por qual motivo? Quais os resultados tem observado? Comente, participe e divida suas experiências.

Referência da imagem: guiadicas.net

Quais regiões tem maior prevalência de lesões em corredores de rua amadores?

Ler a matéria

5 trabalhos científicos sobre Psicologia do Esporte para ler e/ou baixar, veja

Ler a matéria

Protocolo de treinamento avançado para ser realizado em casa [Vídeo]

Ler a matéria