Vitamina D: O que é? Qual a importância?

Escrito pelo Prof. Esp e MBA Danilo Luiz Fambrini

            Dentre as diversas vitaminas existentes, hoje trataremos da vitamina D, menos conhecida em comparação as Vitaminas A e C, mas de grande importância na vida do ser humano e o melhor, de fácil acesso.

            Segundo Hollick (2006), A Vitamina D (1,25-(OH)2D3) é um hormônio responsável pela regulação do Cálcio e do Fósforo. Dessa forma, se faz importante na regulação dos níveis de ambos, buscando maior rendimento da função metabólica, em especial da mineração óssea. Outro autor destaca a importância de tal vitamina no crescimento nos primeiros anos de vida, se tornando fundamental na infância e na adolescência (GORDON et al., 2004).

            Para ilustrar, Hollick (2004), indica que em níveis séricos adequados, a vitamina D promove a absorção do Cálcio em 30% e os valores podem chegar de 60 a 80% em períodos de crescimento, provenientes da alta concentração de Cálcio. Considerando os achados acima descritos, na infância em especial, a deficiência desse nutriente pode levar a um prejuízo de desenvolvimento, interferindo no crescimento, e aumentando o risco de fraturas na vida adulta (HOLLICK, 2007).

            Autores relatam que apesar de ser muito conhecida pela sua função no desenvolvimento e na manutenção do tecido ósseo e pela manutenção da homeostase normal do cálcio e do fósforo, a Vitamina D teria outras funções. Achados recentes sugerem o seu envolvimento em diversos processos celulares vitais, como: diferenciação e proliferação celular, secreção hormonal (como por exemplo: insulina), assim como no sistema imune e em diversas doenças crônicas não transmissíveis (PETTERLICK e CROSS, 2005; BOUILLON et al., 2008).

Recomendações nutricionais

            É difícil mensurar um valor ideal de Vitamina D por ter produção endógena e armazenada no tecido adiposo por um longo período de tempo, os valores também são dependentes do consumo dietético de cálcio e fósforo, idade, sexo, pigmentação da pele e exposição solar (HOLICK, 2007).

            Autores revelam a alta capacidade da pele em sintetizar tal vitamina, tornando importante a exposição ao sol por um certo período de tempo diário em jovens e adultos (MOLGAART e MICHAELSEN, 2003; HOLICK, 2007), apesar de ser difícil mensurar o tempo exato que seria interessante se expor ao sol (GREER, 2004).

Sintomas ocasionados pelo baixo nível de Vitamina D

Os sintomas da baixa concentração de vitamina D no organismo são, segundo Zanin (2015):

  • Diminuição do cálcio e do fósforo no sangue;
  • Fraqueza muscular;
  • Tetania;
  • Moleira aberta após o 1º ano do bebê;
  • Irritabilidade, inquietação, anorexia e suor excessivo podem surgir nas crianças;
  • Osteoporose nos idosos;
  • Raquitismo;
  • Osteomalácea;
  • Pernas tortas.

O que acontece quando existe excesso da Vitamina D?

            O excesso pode levar ao aumento da concentração do Cálcio, o que poderá levar ao surgimento de pedras no rim e arritmia cardíaca, no entanto, tais níveis somente são alcançados por meio de suplementação desse mineral.

Alimentos ricos em Vitamina D

            O Departamento de agricultura dos Estados Unidos (2007) forneceram uma lista com o nome e as medidas pertinentes a Vitamina D, confira abaixo:

tabela vd

Nutrição Esportiva: 15 matérias sobre alimentação [Especial CDT]

Ler a matéria

5 Vitaminas que você viu no CDT e sua relação com o exercício físico [ESPECIAL CDT]

Ler a matéria