Dicas para montar um bom projeto de Lei de Incentivo ao Esporte

O Brasil tem, nos últimos anos, sediado grandes eventos esportivos, o que nos leva a imaginar um maior número de projetos esportivos sendo aprovados pelo governo. De fato, segundo o site educacaofisica.com.br, o número de projetos aprovados gira em torno de 40%, um número bem interessante.

Tendo em vista este número, abaixo descrevemos o texto publicado no mesmo site acima citado com dicas sobre elaboração de projetos, confira:

A falta de conexão entre os principais agentes do processo, a falta de conhecimento por parte das empresas que financiam os projetos, a burocracia imposta pelo governo e a dificuldade na captação aparecem como os principais fatores que contribuem para a dificuldade em captar os recursos ofertados. Foi com base nesses números que o pesquisador Robson Guerreiro, mestre em gestão do esporte e educador físico, realizou a sua pesquisa de mestrado.

Relacionada à Lei Federal de Incentivo ao Esporte, a pesquisa foi focada em entender de que forma eram construídas as relações entre os agentes ligados à Lei: governo, patrocinadores, proponentes (clubes, ONGs, associações, etc.), captadores de recurso e especialistas em escrever esses projetos esportivos para protocolá-los no Ministério do Esporte. Para saber mais da lei, clique aqui.

Dentre alguns dos resultados, Robson acredita que alterações podem ser realizadas na lei, tendo em vista um melhor aproveitamento por parte de empresas e proponente: “Acredito que essas mudanças podem levar muito tempo ou nem serem feitas pelo governo e apesar de ser uma lei, relativamente, nova (2007), vejo que há necessidade de adequações para melhorá-la. Como regulador, o governo poderia facilitar alguns trâmites que limitam maiores ações, como aumentar o percentual de contribuição das empresas, diminuir a burocracia da comissão de análise dos projetos, estimular o processo com o mercado privado, entre outras possibilidades”.

Por fim, o pesquisador deixou 5 dicas para que você possa conseguir desenvolver o seu projeto incentivado com mais facilidade:
1. Conhecer a Lei e seus atalhos para escrever um bom projeto;
2. Conhecer bem a modalidade e o proponente para que a justificativa, ideias e o projeto como um todo tragam uma contribuição plausível para o esporte;
3. Ser realista na planilha financeira, salários de profissionais, preço de materiais, custos operacionais. Retratem uma realidade de mercado;
4. Construir um projeto que traga atrativos aos patrocinadores. Sem eles não há recurso financeiro para o projeto;
5. Pensar no esporte como entretenimento, e que traga uma contribuição para a sociedade.

Análise tática – Organização defensiva Manchester City [vídeo]

Ler a matéria

Como ser um bom zagueiro no futebol – Dica da técnica dos zagueiros modernos [VÍDEO]

Ler a matéria