Baixa qualidade de sono aumenta risco de lesão

Dentre as tantas variáveis do desempenho, a recuperação passiva (momentos onde o atleta não usa atividade) é de extrema importância para o produto final da preparação, algo bastante negligenciado entre os atletas, o sono.

ESTUDO

112 atletas escolares masculinos e femininos foram relacionados á quantidade de sono e o número de lesões, mantidos pelo departamento atlético da escola.

RESULTADOS
A análise multivariada mostrou que as horas de sono por noite e a série na escola foram os melhores preditores independentes de lesão. Atletas que dormiram em média <8 horas por noite tiveram 1,7 vezes (intervalo de confiança de 95%, 1,0-3,0; P = 0,04) mais chances de sofrer uma lesão em comparação com atletas que dormiram por mais de 8 horas. Para cada série adicional na escola, os atletas tiveram 1,4 vezes mais chances de sofrer uma lesão (intervalo de confiança de 95%, 1,2-1,6; P <0,001). .
CONCLUSÃO
A privação do sono influencia diretamente no aumento de lesões musculares em atletas escolares, mais estudos devem ser observados em atletas profissionais.

REFERÊNCIA

Milewski MD, et al. J Pediatr Orthop. 2014.
.
.
Siga: @cienciadotreinamento e @preparacao.fisicanet

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Ciência do Treinamento (@cienciadotreinamento)

Conheça Luisa Stefani, tenista brasileira que vem fazendo história

Ler a matéria

Começou a Copa do Mundo de Futsal, saiba mais sobre a competição

Ler a matéria

A NFL voltou! Conheça os campeões e favoritos para a temporada

Ler a matéria